Imprimir  

header_mx_newsletter

 

Comunicar Para Persuadir
 

Um dos tipos mais comuns de comunicação empresarial é comunicar para persuadir. Desde representantes de vendas que precisam persuadir os clientes a gerentes de nível médio que precisam persuadir os trabalhadores e a administração, passamos quase todos os dias de negócios envolvidos em alguma forma de comunicação persuasiva. Não importa o nosso papel, melhorar a nossa capacidade de persuadir os outros é vital para o nosso crescimento na carreira. Comunicação eficaz para persuadir nos obriga a estar adequadamente preparados, ter clareza na ação que queremos que o nosso ouvinte tome, e capaz de fornecer uma razão convincente para fazer o que sugerimos. Dale Carnegie recomenda uma estrutura simples de três passos que podem melhorar significativamente a nossa capacidade de convencer um ouvinte. A fórmula fornece a estrutura para captar a atenção, construir credibilidade, eliminar o nervosismo, e chamar os outros à ação, e aumentar a probabilidade de que vamos obter resultados com os outros. A fórmula é a seguinte:

 

Incidente: Reviva, uma experiência pessoal marcante relevante ao ponto. Aristóteles disse: "O personagem do orador é um dos seus agentes mais eficazes de persuasão." Temos que ter credibilidade no nosso exemplo e evidências. Temos de ter conquistado o direito de compartilhar nosso exemplo ou dar instruções. Um incidente pessoal é uma maneira infalível para atrair a atenção favorável: envolve as pessoas, abre o canal para a persuasão, e fornece evidências a respeito de porquê vale a pena considerar nossa ideia. Na comunicação persuasiva, passamos a maior parte do nosso tempo, falando da situação e das evidências antes de pedir que o ouvinte faça algo.

 

Ação: Peça que o ouvinte tome uma única e específica ação. Muitas vezes presume-se que os ouvintes saberão o que fazer, uma vez que à eles são apresentados com evidência, aquilo que precisa ser mudado em seu modo de pensar ou a direção a seguir. A comunicação persuasiva é em vão caso não for explicado claramente o que deseja que eles façam. Outras vezes a ação é claramente transmitida, porém muita informação repassada, deixando-os confusos em relação a qual medida deverá ser priorizada. Uma persuasão eficiente implica uma transmissão simplificada da mensagem e a recomendação de uma ação clara a ser tomada.

 

Benefício: Enfatize claramente como o ouvinte irá se beneficiar com a ação recomendada. Mais uma vez, a comunicação deve ser clara, específica e direta. Deverá ser também baseada na realidade. Se o benefício fornecido parecer ser ‘bom demais pra ser verdade’, o ouvinte poderá duvidar. Se o que você estiver recomendando beneficiá-lo mais que os ouvintes, a sugestão parecerá manipulativa e gananciosa. Pois isso, considere o ponto de vista do ouvinte para ter certeza que a recomendação seja verdadeiramente do melhor interesse dele. Este tipo de abordagem será respeitada e permitirá que o ouvinte esteja mais aberto ao que você sugerir.

 

Comunicar com o intuito de persuadir é uma aptidão fundamental para se sobressair nas interações diárias no trabalho. O processo em 3 etapas da Dale Carnegie Training – Incidente, Ação e Benefício – fornece a oportunidade de obter aqueles resultados desejados vindo dos outros.

 

Ao demonstrar que você adquiriu o direito de determinar as direções a serem seguidas e está comunicando de uma posição de caráter sólido, você não somente será convincente, como também envolvente. Estes dois fatores são combinações determinadoras na capacidade de comunicar para persuadir.

 

 

Veja mais artigos relacionados


Estilos de Liderança e Tendências

Usando o Reforço Positivo Para Motivar os outros

 

 

 


Siga-nos online
 

 
© 2016 Dale Carnegie & Associates, Inc..
Todos os Direitos Reservados
 
.
projeto de site e desenvolvimento por Americaneagle.com